Em 02 de setembro de 1977, trinta e três irmãos imbuídos dos mais nobres sonhos e ideais, pertencentes à Loja Estrela de Santos, considerada até hoje com muito carinho como a sua "loja mãe” fundaram a “Estrelinha”.

Mais de trinta anos de muito trabalho e dedicação, de sonhos e esperanças, mas com fé e determinação, conquistando de forma serena e discreta, prestígio e reconhecimento, quer na sua atuação, quer nas suas obras, mas principalmente pelo espírito de amizade que sempre norteou suas posições e seu rumo.

Muito embora seja uma Loja relativamente jovem, ante a existência de Lojas Centenárias, pincelamos registros e fatos significativos que foram dando colorido, e expomos aqui de forma sintética a nossa história.

Origem e concepção

Quanto a origem e a razão de ser da Loja Estrela Vicentina é de mistér que se faça uma carinhosa evocação ao passado não muito distante e que por isto mesmo, não se perdeu nas brumas do tempo. De um passado ainda muito vivo na memória dos que aqui estão, como vivos hão de permanecer para todo o sempre os fatos e os personagens que os viveram e que por razões cristalinas, são os valores maiores em que se assenta a história desta Loja.

Corriam os idos de 1977 e como extraordinário centro de atividades maçônicas, contava a cidade de Santos com duas Lojas subordinadas ao Grande Oriente de São Paulo, federado ao Grande Oriente do Brasil e que trabalhavam no Rito Moderno ou Francês.

Eram as Lojas Estrela de Santos e Cidade de Santos.

Por força de disposições regulamentares, os Mestres Maçons daquelas Lojas que se dispusessem galgar os graus filosóficos das atividades maçônicas, se viam impelidos a se deslocarem à cidade de São Pauto, para freqüentarem as Sessões Capitulares, de vez que, pela inexistência em Santos, do mínimo de três Lojas do Rito Moderno, a baixada santista se via impossibilitada de contar com Loja Capitular do Rito em sua área.
Assim, nasceu a idéia da fundação de uma terceira Loja do Rito Moderno na Baixada Santista.
Portanto, a “Estrela Vicentina” não nasceu por dissidência, tampouco por controvérsia entre irmãos, mais sim, alicerçada em nobres propósitos, a contínua evolução intelectual de seus irmãos e o maior desenvolvimento de nossa Sublime Ordem.

Histórico

O Ir Dilermando Cecere Vidal, Sapientíssimo do Capítulo, que funcionava no Oriente de São Paulo, sugeriu aos Irmãos do Grau de Mestre e pertencentes ao quadro da Loja Estrela de Santos, que empunhassem a idéia de formação da terceira loja do Rito Moderno.
Assim foi feito, assumido o desafio, providências em andamento, e como primeira, a lista de adesões para a fundação nova loja.
Porém, as adesões não eram suficientes, decidindo-se então estender a Irmãos Mestres regulares pertencentes a outras Lojas.
Enquanto se aguardava a adesão dos Irmãos, foram realizadas diversas reuniões para decidir o nome da nova Loja, local de reuniões , número de fundadores, valor da taxa de fundação e administração provisória.
Inicialmente ficou decidido que a lista de adesões estaria completa com a assinatura de 33 (trinta e três) irmãos, as reuniões seriam realizadas no Templo da Loja Estrela de Santos e futuramente em Templo no Oriente de São Vicente, fixando o valor da taxa de fundação Cr$ 100,00 (cem cruzeiros) e quanto a administração provisória, somente seria formada após completar a lista de adesões.
Ocasião em que foram designados os irmãos Manoel Pereira Madureira e Paulo Queija para contatarem os irmãos que assinaram a lista de adesão e providenciar a cobrança da taxa de fundação da futura Loja.

Pelos Irmãos João Miguel Kodja e Geraldo Ferrone, os irmãos fundadores foram convidados a participar de reunião no dia 26 de agosto de 1977, quando se constituiu uma Comissão Provisória de Administração da futura Loja Maçônica, que por sugestão denominou-se de “CELLULA MATER”. Sendo escolhido para Presidente, o IrJoão Miguel Kodja; como Secretário, o IrJosé Paulo Gomes; e Tesoureiro, o IrElias Elias. Foram tomadas diversas decisões nesse dia, tudo lavrado em Ata, ficando designado o dia 2 de Setembro de 1977 para a 1ª Reunião de Fundação da nova Loja.
Assim no dia 02 de setembro de 1977, no Templo cedido pela Loja “Estrela de Santos” reuniram-se os Mestres Maçons Regulares a fim deliberarem sobre várias medidas legais a serem tomadas sob a Presidência do Ir João Miguel Kodja, como Secretário o IrUmberto Fernandes e Orador o Ir José Paulo Gomes, servindo ainda como escrutinadores os Iir Agostinho Ventriglia e Aníbal Lima Junior. Nessa reunião, dada a impossibilidade de ser adotado o nome de CELLULA MATER, pois no Grande Oriente de São Paulo, já tramitava pedido de outra loja para com nome, os irmãos se esforçaram para decidir em várias sugestões o novo nome da Loja, mas ficou decidido que o nome da nova Loja seria ARLS“ESTRELA VICENTINA”, ficando ainda aprovado por unanimidade o Oriente de São Vicente para seu funcionamento.

Nascia então a ESTRELINHA tendo sua primeira constituição administrativa e provisória os seguintes irmãos: Venerável Mestre - JOÃO MIGUEL KODJA, 1º Vigilante - ORLANDO MORGADO, 2º Vigilante - HERMÍNIO AMADO, Orador - JOSÉ PAULO GOMES, Secretário - MANOEL PEREIRA MADUREIRA, Tesoureiro - PAULO QUEIJA, Chanceler - ELIAS ELIAS, Cobridor - ANIBAL LIMA JUNIOR e Mestre de Cerimônia - JOSÉ LASCANE.

Reconhecimento

ATO Nº 774, de 21 de setembro de 1977, o Grão Mestre do Grande Oriente de São Paulo, Em Ir José Menezes Junior, autoriza o funcionamento provisório da ARLS ESTRELA VICENTINA, ao Or de São Vicente, São Paulo, no Rito Moderno.

No Jornal “O Aprendiz” de outubro de 1977 foi publicado uma nota alusiva a fundação da nova Loja, com os dizeres: São Vicente já conta com mais uma Loja Maçônica sob título de “Estrela Vicentina” fundada dia 02 de setembro, Loja jurisdicionada ao Grande Oriente de São Paulo; ... adotou o Rito Moderno e, provisoriamente, está se reunindo no Templo da Loja Estrela de Santos.

ATO 794, de 07 de dezembro de 1977, o Grão Mestre do Grande Oriente de São Paulo, Em Ir José Menezes Junior, nomeia a Comissão de Regularização da ARLS ESTRELA VICENTINA a realizar-se no dia 10 de dezembro de 1977, as 20:30 horas no Templo da ARLS ESTRELA DE SANTOS no Oriente de Santos composta pelos IIr.`. a abaixo mencionados:

Decreto Lei no. 637, de 07 de dezembro de 1977, o Grão Mestre do Grande Oriente de São Paulo, Em Ir José Menezes Junior, autoriza a emissão de BREVE CONSTITUTIVO da ARLS ESTRELA VICENTINA fundada em 2 de setembro de 1997.

Precisamente às 21:00 horas do dia 10 de dezembro de 1977, no Templo da ARBenfe GrBenfL S Estrela de Santos, realizou-se a Sessão Magna de INSTALAÇÃO, REGULARIZAÇÃO E FILIAÇÃO ao Grande Oriente de São Paulo da ARLS ESTRELA VICENTINA, tendo sido feito a leitura do BREVE CONSTITUTIVO DA LOJA.

Fatos Relevantes

Doação de terreno – O querido IrJoão Miguel Kodja, primeiro venerável da Loja em 26 de outobro de 1980, fez doação de dois lotes de terreno com 600 metros quadrados, na Vila Margarida no Oriente de São Vicente, a ser destinado a construção do futuro Templo.

1a. Turma de Iniciados – Cabe registro por ser um passo decisivo ao desenvolvimento, operacionalidade e emancipação de uma Loja, a sua primeira turma com oito iniciados, em ter fases por força regulamentar, que foram:
Em 01.08.1980: Gilberto Morgado, Luciano Quidicomo Filho e Paulo Vitor de Oliveira
Em 08.08.1980: Nelson Nunes de Azevedo, Luiz Antonio de Andrade e Davidson Pedro Ramires
Em 15.08.1 980: Manoel Francisco Guerreiro e Carlos Olavo Rodrigues

Logotipo - Para criar o logotipo da Loja Estrela Vicentina foram nomeados os irmãos Orlando Morgado e Manoel Pereira Madureira. O primeiro sugeriu o que considerava o símbolo maior de São Vicente, a Ponte Pênsil. O segundo via no marco histórico inaugurado nos 400 anos da cidade, no
mesmo local onde Martin Afonso de Souza aportou a sua caravela, o verdadeiro símbolo da CELLULA MATER.
As ponderações do IrMadureira foram convincentes, ficando aquela ilhota com a árvore nas pedras, o Marco e a Estrela de 5 pontas como sendo o logotipo da Loja, que muito carinhosamente passou a ser chamada de “Estrelinha”.

Ingresso na Coligação - Em 26 de setembro de 1977, o VMJoão Miguel Kodja solicita a admissão da Loja Estrela Vicentina na Coligação de Veneráveis da Baixada Santista, e em reunião daquele colegiado realizada no dia 11 de novembro de 1977, por unanimidade, foi a Loja aceita, passando a partir do dia 9 de dezembro a integrar o Conselho Diretor.

Estandarte - Passaram-se quase sete anos, e nossa Loja não possuía um Estandante que a representasse, quando o Ir Oscar Barreira Filho idealizou e confeccionou por iniciativa própria sob a orientação do V MIr Antonio Andrade Filho. Em Sessão realizada no dia 20 de Maio de 1985, foi apresentado o Estandarte mediante um eloqüente trabalho descritivo pelo Ir Oscar.

Tribunal Eleitoral – Indicado e nomeado pelo Em Gr M do GOESP, o nosso Ir Aldo José dos Santos, como Juiz do Tribunal Eleitoral Maçônico do Grande Oriente do Estado de São Paulo, fato de destaque e representatividade para nossa oficina.

Título de Benemérito - Na gestão do VMNelson Nunes de Azevedo foi proposto e concedido com toda honra o Título de Benemérito da Loja ao Ir.`. Manoel Pereira Madureira.

Compromisso com a SAI – Em 1984, os irmãos da Estrelinha, embuídos do espírito maçônico, de solidariedade, igualdade e fraternidade, assume a responsabilidade de estar presente na direção executiva da Sociedade de Assistência a Infância “Creche Vovó Libânia”, entidade esta que abriga em suas dependências cerca de 80 (oitenta) crianças carentes da Comunidade Vicentina.

Comodato - Durante o mandato do Ir Nelson Nunes, foram desenvolvidos estudos que culminaram com a formalização de Comodato entre a Loja e a Sociedade de Assistência à infância – Creche Casa da Vovó Libânia, abrindo caminho para o sonho de ter Templo próprio.

Nosso Templo - Durante a gestão do V M Victorio Lanza Filho, 1987/1989, foi projetado e construído o Templo da ARLS Estrela Vicentina, no Oriente de São Vicente, em terreno pertencente à Sociedade de Assistência a Infância - “Creche Vovó Libânia”, cumprindo com isso compromissos do Comodato.
Ressaltamos que a construção do Templo só foi possível graças ao empenho e dedicação dos irmãos do quadro, sem exceção, mestres, companheiros e aprendizes, não mediram esforços, sacrificando inclusive suas horas de lazer, privando-se da convivência de seus familiares, dedicando-se de corpo e alma para o sucesso da obra.

Sagração do Templo - Exatamente no dia 02 de setembro de 1988, ao completar onze anos, realizou-se a Sessão Magna de Sagração do Templo, coroando todos os esforços até desenvolvidos.
Em seguida, já no dia 12 de setembro de 1988, realizou-se a sua primeira Sessão Pública para apresentação do Templo às cunhadas, sobrinhos e comunidade.
A presença da Loja nas instalações da Sociedade de Assitência à Infância veio consolidar e estreitar o compromisso de zelar, preservar e elevar os destinos dessa instituição benemerente.

Estrelinha assume Presidência da Coligação - Fato que merece registro foi a designação do nosso Ir Nelson Nunes de Azevedo, um dos primeiros iniciados na Loja “Estrela Vicentina”, como Presidente da Coligação das Lojas Maçônicas da Baixada Santista para o mandato de 1993 a 1994, onde com sua característica postura arrojada impulsionou ampliando a atuação daquela instituição.

Fraternidade Feminina – Em nossos eventos sociais e culturais geralmente contamos com o apoio de nossas cunhadas, e entre essas ocasiões a cunhada Silvia Martins Leme, lançou a idéia da formação oficial e prevista em nossos regulamentos, a Fraternidade Feminina Cruzeiro do Sul – Estrela Vicentina; na gestão do Venerável Vitório Lanza, sua esposa empunha a bandeira e se concretiza a fundação em 14 de setembro de 1987. Cabe destacar que durante seu funcionamento organizou vários eventos, culturais, sociais e benemerentes, assumindo o bazar da Creche Casa da Vovó Libânia, e contribuindo sobremaneira com a saúde financeira da creche, com o carinho e amor as nossas crianças.

Solidariedade Maçônica - A Loja Estrela Vicentina já abrigou em seu Templo as seguintes co-irmãs: Loja Damasco, Loja Amor e Silêncio, Loja Príncipe do Líbano e Loja Barão de Ramalho.
Atualmente trabalham em seu Templo as Lojas Célula Mater da Nacionalidade e Estrela de Praia Grande.

Expansão Maçônica - Consoante de suas obrigações, e enganjada nas diretrizes do Grande Oriente do Brasil, assume a responsabilidade de criar nova célula do Rito Moderno no Oriente de Praia Grande, assim em 21 de julho de 1994, os IIr da Loja Estrela Vicentina fundaram ARLS “Estrela de Praia Grande”.
Destacamos a finalidade precípua e altruísta de reforçar a presença maçônica em outro Oriente, e contribuir para o desenvolvimento da nossa Sublime Instituição.

Título de Loja Benfeitora - Em 29/08/2002, através do Ato no. 3.207 do Grande Oriente do Brasil, assinado pelo então Grão Mestre Geral Laelso Rodrigues, foi concedido o honroso título de Loja Benfeitora, coroando o resultado do trabalho realizado pelos irmãos da estrelinha junto a comunidade, em particular na Sociedade de Assistência à Infância.

Nossos Fundadores

Os fundadores plantaram uma semente que germinou e floresceu, agora, cabe-nos a tarefa do continuo cultivo. A esses Maçons que plantaram a semente, a nossa eterna gratidão e os nossos melhores agradecirnentos.

Adelino Alves Rodrigues
Agostinho Ventriglía
Aldo José dos Santos
Amilcar Antônio Magalhães
Carlos Frigério
Dilermano Céceres Vidal
Elias Elias
Ernani Mello de Oliveira
Francisco Hernandes Filho
Fortunato de Oliveira Martins
Geraldo Perroni
Herminio Amado
Henrique Fernandes
João lvair Disaró
João Miguel Kodja
Joaquim Ribeiro Moura
José Fernandes Esteves
José Cláudio Batista
José Lascane
Anibal Lima Júnior
José Paulo Comes
João Bittar
Jorge Miguel
Luiz da Silva Maia
Luiz Frigério
Manoel Pereira Madureira
Mário Venâncio Pula
Orlando Morgado
Orlando Molinari
Paulo Queijas
Pedro Pinto
Tancredo Giangiulio
Umberto Fernandes

BENEMÉRITOS DA LOJA

  • Manoel Pereira Madureira
  • Fortunato de Oliveira Martins
  • Manoel Pereira Madureira

EMÉRITOS DA LOJA
 

  • Luciano Quidicomo Filho
  • Aristides Manoel de Arruda
  • Vivaldo Bordinhão   
  • Henrique P. Cassilhas
  • Radamés Gomiero   
  • Orenides Pelegrini

Finalizando

A Estrela Vicentina a cada dia, a cada sessão e a cada evento, vem cumprindo seu papel aderente ao princípios maçônicos, galgando crescimento do seu quadro de obreiros, fortalecendo os laços familiares com participação efetiva das cunhadas e sobrinhos, e conta, em particular, com a luz e o calor dos nossos irmãos visitantes que costumeiramente nos honram, tanto nas reuniões regulares, como também nos eventos festivos e benemerentes.

 

© Estrela Vicentina - Todos os Direitos Reservados